FICHA TÉCNICA DO RECURSO

Promoção e intervenção sobre aspectos da (hiper) medicalização em usuários de uma Unidade Básica de Saúde
A cultura da (hiper)medicalização ou uso excessivo de medicamentos é um problema complexo, e o desejo quase que coletivo de uma população ser medicalizada a todo e qualquer contato com o profissional de saúde foi construído ao longo dos últimos anos. Este problema está associado a transformações socioculturais, políticas e científicas. A (hiper) medicalização é de fato um problema em que se tem diferentes origens, todavia, o objeto de estudo neste trabalho, será a cultura do uso irracional de medicamentos da perspectiva do clínico sobre o sujeito, usuário do serviço de saúde. Objetiva-se com este estudo proporcionar uma visão ao cidadão que pode viver de maneira mais independente dos medicamentos, e assim promover uma melhora na qualidade de vida desta população. O trabalho de concientização do indivíduo deverá ser realizado a todo momento e em qualquer ambiente, desde do consultório, na sala de espera ou em visitas domiciliares. Todo indivíduo da área de abrangência do serviço de saúde poderá participar da campanha. As ações irão incluir a colocação de cartarzes por todo o ambiente, contendo frases que estimulam o uso racional de medicamentos, palestras e produção de uma horta comunitária. Com este projeto, espera-se trazer algum beneficio a população atendida na unidade. Mudanças de comportamento por parte do usuário como resultado das intervenções propostas no projeto, serão identificadas ao longo dos atendimentos. O trabalho de conscientização será desenvolvido por educação permanente, a fim de apresentar ao usuário sua parte de responsabilidade, situando-o como agente responsável de seu próprio bem estar.
https://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/12767
15/May/2019
(Hiper)medicalização
Uso racional de medicamentos
Promoção da Saúde