FICHA TÉCNICA DO RECURSO

Acompanhamento aos usuários diagnosticados com Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) em uma Unidade Básica de Saúde
A hipertensão arterial é condição clínica multifatorial caracterizada por elevação sustentada dos níveis pressóricos ≥ 140 e/ou 90 mmHg. Frequentemente se associa a distúrbios metabólicos, alterações funcionais e/ou estruturais de órgãos-alvo, sendo agravada pela presença de outros fatores de risco , como dislipidemia, obesidade abdominal, intolerância à glicose e diabetes melito. No Brasil atinge mais de 35 milhões de indivíduos adultos, mais de 60% dos idosos, contribuindo direta ou indiretamente para 50% das mortes por doença cardiovascular e suas complicações (cardíacas, renais e AVE) têm impacto elevado na perda da produtividade do trabalho e da renda familiar. Os profissionais da atenção básica têm importância primordial nas estratégias de prevenção, diagnóstico, monitorização e controle da hipertensão arterial. Portanto, o bom controle da pressão arterial traz benefícios ao paciente quanto ao sistema de saúde por diminuir os riscos de complicações em decorrência de eventos cardiovasculares. O objetivo deste projeto é aprimorar o acompanhamento aos usuários diagnosticados com Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) em uma Unidade Básica de Saúde. Metodologia A identificação dos usuários com HAS será realizada através de verificação de prontuários durante as consultas médicas, no acolhimento e quando retirarem medicações anti-hipertensivas. O atendimento e acompanhamento dos usuários com HAS será realizado através de verificação mensal de PA por equipe de enfermagem. Para aqueles que apresentarem descontrole, será agendada consulta de enfermagem. Caso seja identificada necessidade de introdução, troca ou ajuste de medicação, será agendada consulta médica. Os usuários portadores de HAS serão cadastrados em um banco de dados na unidade e suas aferições de PA alimentadas mês a mês. A avaliação dos resultados será realizada através da análise de banco de dados. Como resultado deste plano de intervenção espera-se que haja melhor controle de PA em 50% dos usuários portadores de HAS através de acompanhamento seriado e otimização de tratamentos.
https://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/13188
15/May/2019
  • Atenção Primária à Saúde
  • Controle
  • Doenças Cardiovasculares
  • Hipertensão