FICHA TÉCNICA DO RECURSO

Revisão literária sobre fatores de risco para o desmame nos primeiros seis meses de vida da criança
O aleitamento materno é comprovadamente o alimento ideal para a criança, especialmente nos primeiros seis meses de vida, não sendo necessário nesse período complementá-lo. Os benefícios oferecidos pelo aleitamento materno são vários e comprovam sua superioridade em relação aos outros tipos de leite. Esses benefícios são bem aproveitados com o aleitamento materno exclusivo (AME) nos primeiros seis meses de vida da criança. Foi realizada uma revisão literária com os objetivos de avaliar a importância do AME e fatores que exercem influência nessa prática, fornecendo assim, subsídios aos profissionais de saúde, para atuarem adequadamente nas inúmeras situações que podem servir de obstáculo à amamentação exclusiva. A revisão mostrou que apesar de todas as vantagens do leite materno sobre outros tipos de leite, os índices de sua utilização, na forma exclusiva ou não, se mostram aquém da recomendação do Ministério da Saúde (MS) e Organização Mundial de Saúde (OMS), tornando-se um problema de saúde pública. A existência de vários fatores de risco contribui para tal fato. Nesta revisão foram constatados os seguintes: uso de chupeta e mamadeira, crença do leite fraco ou pouco leite, problemas nas mamas como fissuras e ingurgitamento, introdução precoce de outros tipos de leite e outros líquidos na alimentação da criança, convivência da mãe com marido/parceiro, avó, parentes e amigos, trabalho das mães, idade e escolaridade materna, condição econômica, tipo de parto, amamentação nas primeiras horas de vida, experiência prévia em amamentar, vaidade, ausência de informação no pré-natal, motivação interna de cada mulher. Constatou-se que a amamentação é um processo complexo, o qual envolve não apenas aspectos biológicos, mas também, sociais, econômicos, históricos e culturais. Assim, para atender à recomendação do MS e OMS é necessário o envolvimento multiprofissional para intervir nos fatores que estão dificultando o AME e/ou aleitamento materno (AM). Ressalta-se que as realidades de cada população são diferentes, logo os fatores que as afetam também podem variar. É preciso, portanto, investigação das variáveis que exercem influência naquela população, de modo que as intervenções sejam voltadas à realidade específica, alcançando resultados mais eficazes.
https://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/13999
11/Dec/2019
SP6.021.057.073::Aleitamento materno
SP6.021.057.078::Desmame