FICHA TÉCNICA DO RECURSO

A baixa adesão ao tratamento farmacológico de pacientes com hipertensão arterial sistêmica da Área 37 da Unidade de Atenção Primária à Saúde de Santa Cruz em Juiz de Fora
A Hipertensão Arterial Sistêmica é uma doença crônica multifatorial que precisa de controle e acompanhamento. À necessária mudança no estilo de vida, em conjunto com a participação ativa do indivíduo no cumprimento da terapia medicamentosa, garante uma qualidade e expectativa de vida maior, com diminuição dos riscos de complicações cardiovasculares, renais, cerebrais e circulatórias. Um dos maiores problemas observados na população hipertensa é a falta de adesão ao tratamento medicamentoso, bem como a falta de controle dos fatores de riscos a ela relacionados. Dessa forma, o presente estudo tem por finalidade descrever quais os principais problemas de saúde da região da Equipe de Saúde da Família de Santa Cruz, área 37 Vila Paraíso, em Juiz de Fora, Minas Gerais, com destaque para o número elevado de hipertensos e que não realizam o tratamento medicamento corretamente. E, além disso, propor um projeto de intervenção para controle dessa situação. A metodologia escolhida para fazer o plano de ação foi a do Planejamento Estratégico Situacional, seguida da revisão teórica e cientifica dos aspectos. Com a aplicação do plano elaborado pode-se ajudar a equipe a melhorar o seu desempenho, cumprimento dos protocolos clínicos de atenção, fluxos de acompanhamentos e a um maior conhecimento e adesão por parte dos pacientes na hora de fazer seu tratamento. Isto foi possível através da realização de ações como: diagnóstico precocemente, acompanhamento e cadastro dos hipertensos, informação da população sobre o assunto e organização dos serviços com o fim de um melhor atendimento aos pacientes hipertensos
https://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/14157
11/Dec/2019
  • SP2.006.052.068::Estratégia Saúde da Família
  • N04.590.233.727::Atenção Primária à Saúde
  • C14.907.489::Hipertensão
  • C14::Doenças cardiovasculares