FICHA TÉCNICA DO RECURSO

SIFILIS CONGÊNITA: DIAGNÓSTICO PRECOCE NA GESTAÇÃO
A sífilis está entre as Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISF), sendo causada pela bactéria Treponema pallidum possuindo evolução crônica, sua transmissão pode ocorrer de forma sexual ou vertical. A doença pode ser classificada como sífilis adquirida, sífilis em gestante ou sífilis congênita, possuindo vários estágios como primária, secundária e terciária. No Brasil no ano de 2016, foram notificados 87.593 casos de sífilis adquirida, 37.436 casos de sífilis em gestantes e 20.474 casos de sífilis congênita, necessitando assim de estratégias que visem identificar e tratar precocemente à doença. Ultimamente por meio da Rede Cegonha, houve um aumento na detecção de sífilis em gestantes por meio de Teste Rápido (TR). Este trabalho visa capacitar os profissionais que acompanham o pré-natal no município de Barão de Grajaú – MA, com intuito de prepará-los para conseguir diagnosticar a sífilis, além de ofertar palestras e teste de diagnóstico para gestantes e seus parceiros, bem como tratar os acometidos. Será elaborado um fluxograma de acompanhamento da sífilis apresentando os principais pontos de dificuldade e facilidade. Diante disso, ressalta-se a importância de diagnosticar precocemente a doença, para que assim a sífilis congênita seja reduzida. No entanto, algumas dificuldades podem ser encontradas como a resistência de algumas gestantes no acompanhamento do pré-natal.
https://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/14653
12/Jan/2020
  • Sífilis Congênita
  • Gravidez