FICHA TÉCNICA DO RECURSO

Segurança Alimentar e Nutricional com enfoque na intersetorialidade
Segurança Alimentar e No Brasil, a promoção à saúde seguiu sendo discutida desde a década de 1970, sofrendo avanços até 1986, quando aconteceu a 8ª Conferência Nacional de Saúde. Este evento histórico representou o grande marco da luta pela universalização do sistema de saúde e pela implantação de políticas públicas em defesa da vida. A partir 1988 a saúde torna-se um direito social irrevogável. Neste contexto, a alimentação e nutrição constituíram-se em requisitos básicos para a promoção e a proteção da saúde. No entanto a alimentação só foi reconhecida como um direto constitucional em 2010. No período supracitado, o Brasil estruturou políticas públicas voltadas para garantia da Segurança Alimentar e Nutricional (SAN), tendo como destaque a criação do Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (SISAN), em 2006. Dessa forma, considerando que, tanto a promoção à saúde como a garantia da SAN estão atreladas aos determinantes sociais como: habitação, saneamento, educação, alimentação adequada e saudável e transporte, torna-se necessário o desenvolvimento de ações intersetoriais. O curso tem como público alvo estudantes de nutrição e nutricionistas que atuam na rede pública de saúde e educação do estado de Santa Catarina e uma carga horária de 160 horas.
https://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/15167
05/Jun/2020
2019


  • ASSISTÊNCIA À SAÚDE (N)
  • Características da População (N01)
  • Saúde (N01.400)
  • SAÚDE PÚBLICA (SP)
  • Atenção à Saúde (SP2)
  • Saúde de Grupos Específicos (SP2.006)

  • SAÚDE PÚBLICA (SP)
  • Ciências da Nutrição (SP6)
  • Programas e Políticas de Nutrição e Alimentação (SP6.051)
  • SAÚDE PÚBLICA (SP)
  • Direito Sanitário (SP9)
  • Direitos Humanos (SP9.020)
  • Direitos Socioeconômicos (SP9.020.090)