FICHA TÉCNICA DO RECURSO

Melhoria da Atenção ao Pré-natal e Puerpério na UBS Santa Fé,pedro II/ Piaui.
VEGO, Marilin Pozo. Melhoria da atenção ao pré-natal e puerpério da UBS Santa Fé, Pedro II/ Piauí. 2015. 99Fls Trabalho de Conclusão de Curso (Curso de Especialização em Saúde da Família) - Departamento de Medicina Social, Faculdade de Medicina, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2015. A mortalidade infantil e materna ainda é um problema de saúde pública no Brasil. A ocorrência de mortes neonatais por causas obstétricas podem ser evitadas por uma atenção ao pré-natal e puerpério adequada, que favoreça a detecção e a intervenção precoce das situações de risco em um sistema ágil de referência na rede de atenção integral e qualificada. Decidiu-se intervir neste grupo populacional, pois percebemos que é um dos grupos mais vulneráveis e que precisa ter um acompanhamento precoce, oportuno e adequado para assegurar o desenvolvimento favorável da gestação, permitindo o parto de um recém-nascido saudável, assim como o acompanhamento das suas mães, abordando aspectos psicossociais e as atividades educativas e preventivas. O objetivo da intervenção foi melhorar a atenção ao pré-natal e puerpério da UBS Santa Fé, em Pedro II, Piauí (PI). Essa intervenção ocorreu ao longo de três meses no ano 2015, com uma dinâmica de implementar as ações planejadas na rotina do serviço da UBS, avaliar e corrigir dificuldades/limitações, visando o aprimoramento da ação programática e a sua continuidade. A metodologia propôs a realização de ações guiadas pelos protocolos do Ministério da Saúde nos quatro eixos temáticos de monitoramento e avaliação, organização e gestão do serviço, engajamento público e qualificação da prática clínica. Antes da intervenção a cobertura da atenção as gestantes e puérperas era 45% e 46%, respectivamente, conforme os dados do Caderno de Ações Programáticas. Além da baixa cobertura, a qualidade da atenção também deixava a desejar, pois não haviam registros específicos, o acompanhamento não era contínuo e as atividades educativas eram esporádicas. As ações desenvolvidas pela equipe permitiram alcançar 100% de cobertura das gestantes e puérperas, cadastrando 35 gestantes e 15 puérperas no programa. Como resultados importantes podemos citar o aumento da proporção de gestantes com ingresso no primeiro trimestre, a proporção de gestantes com pelo menos um exame ginecológico por trimestre melhorou, assim como a proporção de gestantes com primeira consulta odontológica. Todas as gestantes receberam orientações sobre nutrição, aleitamento materno e cuidados do recém-nascido. Quanto ao cuidado no puerpério, todas as puérperas receberam orientações sobre planejamento familiar, cuidado com o recém-nascido, avaliação da saúde mental assim como foi realizado o exame físico integral. Esta intervenção exigiu da equipe maior capacitação para seguir as diretrizes do protocolo de atenção ao pré-natal de baixo risco e puerpério, condição que propiciou o trabalho em equipe. No momento percebe-se a equipe mais integrada e articulada no que diz respeito a linha de cuidado elegida. Palavras-chave: atenção primária à saúde; saúde da família; pré-natal; puerpério; gestante.

  • ASSISTÊNCIA À SAÚDE (N )
  • Características da População (N01 )
  • Saúde (N01.400 )
  • SAÚDE PÚBLICA (SP )
  • Atenção à Saúde (SP2 )
  • Saúde de Grupos Específicos (SP2.006 )

  • ASSISTÊNCIA À SAÚDE (N )
  • Características da População (N01 )
  • Saúde (N01.400 )
  • SAÚDE PÚBLICA (SP )
  • Atenção à Saúde (SP2 )
  • Saúde de Grupos Específicos (SP2.006 )
Pré-Natal
Puerpério

  • ASSISTÊNCIA À SAÚDE (N )
  • Características da População (N01 )
  • Saúde (N01.400 )
  • SAÚDE PÚBLICA (SP )
  • Atenção à Saúde (SP2 )
  • Saúde de Grupos Específicos (SP2.006 )
Acesso aberto (leitura, impressão e download)
https://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/19625
21/Oct/2020