FICHA TÉCNICA DO RECURSO

A importância da atividade física e alimentação adequada para o controle da diabetes mellitus tipo II
O termo “diabetes mellitus” (DM) refere-se a um transtorno metabólico de etiologias heterogêneas, caracterizado por hiperglicemia e distúrbios no metabolismo de carboidratos, proteínas e gorduras, resultantes de defeitos da secreção e/ou da ação da insulina. A prevalência de DM nos países da América Central e do Sul foi estimada em 26,4 milhões de pessoas, e projetada para 40 milhões, em 2030. É estimado que o Brasil passe da 8ª posição, com prevalência de 4,6%, em 2000, para a 6ª posição, 11,3%, em 2030. Tendo como base os dados mencionados, foi elaborado um plano de intervenção para os pacientes com DM tipo 2, com foco na relevância da atividade física e alimentação saudável, Conhecendo melhor o perfil desses portadores, e verificando os fatores que interferem na adesão dos objetivos propostos , dos pacientes diabéticos atendidos na Unidade Básica de Saúde (UBS) Vila Nova em Carius – CE. Trata-se de um estudo exploratório, descritivo do tipo pesquisa ação por meio de uma intervenção, utilizando-se dos prontuários, e consultas realizadas, posteriormente foram feitas palestras educativas, com entrevista e questionários semi-estruturado, através de visitas domiciliares a cada paciente em questão. Tendo como maior prevalecia ao gênero feminino, com índice de 37,5%, entre 61-70 anos de idade, alta taxa de analfabetismo de 50%, baixa renda ate um salário mínimo 70%, atividade física, 50% aderiram caminhada, relacionado a dieta inadequada 50% consumiam(carbohidratos e gorduras), seguido de 55% que optaram por alimentação saudável(retirando açucares e diminuindo gorduras e carbohidratos), 20% frutas e verduras e 15% introduziram fibras. Este trabalho demonstrou que é de grande importância o empoderamento do usuário portador de DM frente a sua saúde e de seus familiares. As ações desenvolvidas foram de grande importância para a população, pois foi possível conhecer o perfil destes usuários e assim traçar metodologias que contemplassem as deficiências socioculturais e econômicas bem como observar lacunas nas rotinas das famílias, e através do incremento na adesão aos planos alimentares construídos; substituição de alimentos inadequados por saudáveis; fortalecimento de atitudes, decisões e ativação da intenção, frente a mudanças de hábito; melhor controle glicêmico e prevenção de complicações agudas e crônicas; garantindo maior qualidade de vida e redução de custos ao SUS.
https://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/20147
02/Dec/2020

  • DOENÇAS (C)
  • Doenças Nutricionais e Metabólicas (C18)
  • Doenças Metabólicas (C18.452)
  • Transtornos do Metabolismo de Glucose (C18.452.394)
  • DOENÇAS (C)
  • Doenças do Sistema Endócrino (C19)

  • ANTROPOLOGIA, EDUCAÇÃO, SOCIOLOGIA E FENÔMENOS SOCIAIS (I)
  • Educação (I02)
  • Educação não Profissionalizante (I02.233)
  • ASSISTÊNCIA À SAÚDE (N)
  • Instituições de Saúde, Recursos Humanos e Serviços (N02)
  • Serviços de Saúde (N02.421)
  • Serviços Preventivos de Saúde (N02.421.726)
  • SAÚDE PÚBLICA (SP)
  • Atenção à Saúde (SP2)
  • Promoção da Saúde (SP2.021)
  • SAÚDE PÚBLICA (SP)
  • Desastres (SP8)
  • Administração de Desastres (SP8.946)
  • Educação em Desastres (SP8.946.234)

  • ASSISTÊNCIA À SAÚDE (N)
  • Administração de Serviços de Saúde (N04)
  • Administração dos Cuidados ao Paciente (N04.590)
  • ASSISTÊNCIA À SAÚDE (N)
  • Qualidade, Acesso e Avaliação da Assistência à Saúde (N05)
  • SAÚDE PÚBLICA (SP)
  • Atenção à Saúde (SP2)
  • VIGILÂNCIA SANITÁRIA (VS)
  • Vigilância Sanitária de Serviços de Saúde (VS3)