FICHA TÉCNICA DO RECURSO

Estratégias para mudança no estilo de vida e seu impacto nos níveis tensionais em usuários da Unidade Básica de Saúde Cirolândia II.
Dados do Ministério da Saúde revelam que o Brasil tem em média 32% da sua população adulta com o diagnóstico estabelecido de hipertensão arterial sistêmica, o que a torna um grave problema de saúde pública. A hipertensão arterial sistêmica é uma patologia que na maioria das vezes tem curso assintomático, o que a torna de difícil abordagem. O aumento da incidência e prevalência da Hipertensão Arterial cria dentro da Atenção Básica, especialmente ao Programa de Saúde da Família, um desafio, por ser a porta de entrada do individuo ao Sistema Único de Saúde (SUS), é aonde há a maior conveniência para identificação dos fatores de risco, maior chance para o diagnostico precoce e com isso uma maior oportunidade para a diminuição de sequelas oriundas da manutenção de altos níveis tensóricos. Portanto, cabe aos profissionais da atenção básica elaborar estratégias para detectar, diagnosticar, monitorar e realizar controle dos portadores de hipertensão arterial, bem como trabalhar as modificações do estilo de vida que é fundamental no processo terapêutico e na prevenção da hipertensão e seus agravos.
https://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/23749
04/May/2021

  • PSIQUIATRIA E PSICOLOGIA (F)
  • Comportamento e Mecanismos Comportamentais (F01)
  • Psicologia Social (F01.829)

  • DOENÇAS (C)
  • Doenças Cardiovasculares (C14)
  • Doenças Vasculares (C14.907)

  • ASSISTÊNCIA À SAÚDE (N)
  • Administração de Serviços de Saúde (N04)
  • Administração dos Cuidados ao Paciente (N04.590)
  • Assistência Integral à Saúde (N04.590.233)
  • SAÚDE PÚBLICA (SP)
  • Atenção à Saúde (SP2)
  • Níveis de Atenção à Saúde (SP2.001)
  • SAÚDE PÚBLICA (SP)
  • Atenção à Saúde (SP2)
  • Assistência à Saúde (SP2.016)
  • Assistência Integral à Saúde (SP2.016.122)
  • SAÚDE PÚBLICA (SP)
  • Saúde Ambiental (SP4)
  • Serviços de Saúde (SP4.002)