FICHA TÉCNICA DO RECURSO

Febre em crianças
O objeto mostra a febre como uma intercorrência, embora representativa de uma série de alterações correlacionadas ao processo de adoecimento. Segue tecendo comentários sobre como ela é habitualmente a principal queixa que traz muitas das famílias às unidades de saúde, e lembra que o controle da temperatura é feito pelo hipotálamo a partir dos centros termoreguladores, podendo ser causada por diversos fatores, dentre esses: toxinas que afetam estes centros ou anormalidades cerebrais. Lembra ainda que em especial os recém-nascidos e prematuros têm mais dificuldade no controle da temperatura, de que há argumentos favoráveis e contrários ao tratamento da febre e de que ela altera a avaliação dos dados vitais. Apresenta um quadro com recomendações de quando tratá-la e mostra as substâncias de alguns antipiréticos, divididos em quatro categorias. Termina dizendo que não é recomendado alternar antipiréticos e mostra ainda algumas medidas não farmacológicas no manejo da febre. Unidade 6 do módulo 5 que compõe o Curso de Especialização em Saúde da Família.

  • DOENÇAS (C )
  • Condições Patológicas, Sinais e Sintomas (C23 )
  • Sinais e Sintomas (C23.888 )
  • Alterações na Temperatura Corporal (C23.888.119 )

  • COMPOSTOS QUÍMICOS E DROGAS (D )
  • Ações Químicas e Utilizações (D27 )
  • Ações Farmacológicas (D27.505 )
  • Efeitos Fisiológicos de Drogas (D27.505.696 )

http://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/334
27/Sep/2012