FICHA TÉCNICA DO RECURSO

IMPLANTAÇÃO DA CONSULTA DE PUERICULTURA NA ESTRATEGIA DE SAÚDE DA FAMILIA JOÃO LEOPOLDO KOCH NETTO NO MUNICÍPIO DE MARACAJU/MS
O Pro¬grama de Puericultura é utilizado para o acompanhamento da saúde das crianças, tem como objetivo acom¬panhar o crescimento e desenvolvimento em crianças nos primeiros anos de vida. No município de Maracaju/MS, a puericultura é realizada somente na unidade central de saúde do município, dificultando assim o acesso de toda população. Este projeto de intervenção (PI) visa implantar a puericultura em uma unidade local de saúde, visando um melhor atendimento para a população alvo de determinada região, no intuito de agilizar o atendimento e identificar com rapidez problemas enfrentados por estas crianças. O PI visa implantar ações educativas de caráter permanente para os profissionais de saúde e também para as crianças e mães através do grupo educativo, capacitar a equipe do ESF para identificar e captar precocemente crianças de risco. O projeto contemplou todas as crianças de 0 a 5 anos da Unidade de Saúde. A intervenção aqui proposta aconteceu durante o 1º quadrimestre do ano de 2014 e englobou ações de sensibilização e qualificação da equipe de profissionais da Unidade de Saúde através de reuniões mensais. Quanto à operacionalização da puericultura, foram definidas visitas domiciliares semanais às crianças, assim como a elaboração de instrumentos de acompanhamento e de agendamento, como o calendário. Propôs-se o atendimento destas crianças na unidade de saúde, pelo médico, enfermeira da equipe e grupo educativo assim como também a organização de atividades educativas interdisciplinares. As atividades em grupo contaram com a participação de 24 crianças, a maioria do sexo masculino, e suas respectivas mães, num total de 04 encontros mensais. Nestes encontros foram propostas um conjunto de ações educativas que visaram a promoção da saúde, selecionando temas e material gráfico e educativo segundo as prioridades detectadas, recepcionando as crianças e mães e estimulando o diálogo entre pais e profissionais. O projeto esteve em andamento no período de Dezembro de 2013 a Abril de 2014. Através de um questionário respondido pelas mães, foi visto que 30% das crianças apresentavam sobrepeso antes da intervenção e somente 10% delas ainda apresentavam sobrepeso após o projeto. Os dados ainda demonstraram uma melhora considerável na alimentação destas crianças antes e depois da intervenção. Neste estudo, observou-se que meninos e meninas, na faixa etária avaliada, são indistintamente atingidos pelo excesso de peso e considerando que o local pesquisado é de uma população média baixa, nota-se a prevalência deste sobre peso em crianças de um bom nível socioeconômico. Percebeu-se uma diminuição do sobrepeso e também de crianças abaixo do peso, através das orientações dadas às mães e às crianças, contribuindo assim para mudanças comportamentais e no estilo de vida destas crianças. É necessário que os hábitos e orientações transmitidos e ensinados a estas crianças se incorporem em seu cotidiano.
https://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/4193
05/Oct/2016

  • ANTROPOLOGIA, EDUCAÇÃO, SOCIOLOGIA E FENÔMENOS SOCIAIS (I)
  • Ciências Sociais (I01)
  • Sociologia (I01.880)
  • Seguridade Social (I01.880.787)
  • Proteção da Criança (I01.880.787.293)
  • ASSISTÊNCIA À SAÚDE (N)
  • Instituições de Saúde, Recursos Humanos e Serviços (N02)
  • Serviços de Saúde (N02.421)