FICHA TÉCNICA DO RECURSO

ORGANIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA A PESSOA COM HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA
A adequada assistência a pessoa com Hipertensão Arterial Sistêmica deve contemplar não apenas o fornecimento de medicamentos de forma regular como monitoramento da assistência, a busca ativa de faltosos e principalmente o desenvolvimentode ações de educação em saúde para mudanças de hábitos com vistas ao autocontrole dos níveis pressóricos. Acredita-se que a educação em saúde seja o mais importante instrumento para o enfrentamento da problemática da HAS uma vez que o conhecimento das doenças está relacionado à melhora da qualidade de vida, à redução do número de descompensações, ao menor número de internações hospitalares e à maior aceitação da doença. Na Unidade Básica de Saúde (UBS) Vila Veranópolis, do município Confresa, Estado Mato Grosso, foi proposta a intervenção para organização da assistência a uma população de hipertensos por meio de formação de um grupo para ação educativa de seguimento regular, fornecimento de medicação, controles periódicos e atendimento de intercorrências. Os objetivos foram atingidos na totalidade. Nos primeiros seis meses, ocorreram encontros mensais, seguidos de avaliações periódicas, controle das doenças e dispensação da medicação. Comparando-se os resultados iniciais com os pós-intervenção, observou-se redução de 66% a 22% no número de hipertensos com pressão moderada e grave, Para hipertensos dependentes do sistema oficial de saúde e do fornecimento da medicação, em grande parte idosos e pessoas com baixa escolaridade, embora não se tenha obtido no estudo o controle de todos os determinantes de adesão e o controle das doenças, a intervenção se mostrou eficiente. Conclui-se que esse tipo de intervenção pode e deve ser mantida e ampliada na UBS, levando a mesma à totalidade e atendendo outros agravos a saúde da população e que para maior eficácia, deve ser institucionalizada, independentemente de mudanças político-administrativas, por meio da incorporação de mais profissionais de saúde e maior participação da comunidade.
https://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/6151
20/Oct/2016

  • DOENÇAS (C)
  • Doenças Cardiovasculares (C14)
  • Doenças Vasculares (C14.907)

  • DOENÇAS (C)
  • Condições Patológicas, Sinais e Sintomas (C23)
  • Processos Patológicos (C23.550)
  • Atributos de Doença (C23.550.291)
  • HOMEOPATIA (HP)
  • Homeopatia (HP1)
  • Filosofia Homeopática (HP1.007)
  • Pacientes (HP1.007.262)
  • Doença (HP1.007.262.808)
  • HOMEOPATIA (HP)
  • Clínica Homeopática (HP2)
  • Doença (HP2.029)
  • HOMEOPATIA (HP)
  • Terapêutica Homeopática (HP3)

  • ANTROPOLOGIA, EDUCAÇÃO, SOCIOLOGIA E FENÔMENOS SOCIAIS (I)
  • Educação (I02)
  • Educação não Profissionalizante (I02.233)
  • ASSISTÊNCIA À SAÚDE (N)
  • Instituições de Saúde, Recursos Humanos e Serviços (N02)
  • Serviços de Saúde (N02.421)
  • Serviços Preventivos de Saúde (N02.421.726)
  • SAÚDE PÚBLICA (SP)
  • Atenção à Saúde (SP2)
  • Promoção da Saúde (SP2.021)
  • SAÚDE PÚBLICA (SP)
  • Desastres (SP8)
  • Administração de Desastres (SP8.946)
  • Educação em Desastres (SP8.946.234)