FICHA TÉCNICA DO RECURSO

Assistência ao paciente adulto: questões da prática assistencial para dentistas
Historicamente, o modelo de assistência odontológica do serviço público sempre adotou uma postura tradicionalista, baseada na concepção de atendimento ao indivíduo doente e, consequentemente, de tratamento curativo/mutilador. Este modelo, marcado pela responsabilidade exclusiva do cirurgião-dentista, limitado aos problemas da cavidade bucal e restrito ao ambiente clínico-cirúrgico, sem a interação com os outros integrantes da Estratégia de Saúde da Família (ESF), não satisfaz às necessidades da população, além de gerar custos financeiros cada vez mais altos. Neste material faz-se uma abordagem mais aprofundada sobre o papel do cirurgião-dentista no processo de trabalho da Equipe de Saúde da Família, com destaque para a interdisciplinaridade, em que o trabalho da Equipe de Saúde Bucal (ESB) não deve estar baseado em uma prática autônoma, limitada ao atendimento clínico, e sem a interação com os demais membros da ESF. Verá a importância da inclusão dos adultos nas ações de prevenção e promoção de saúde e nas visitas domiciliares, pois podem funcionar como multiplicadores do conhecimento e dos hábitos saudáveis de higiene e alimentação, influenciando de forma positiva os demais membros da família
https://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/7856
09/Feb/2017

  • SAÚDE PÚBLICA (SP)
  • Atenção à Saúde (SP2)
  • Saúde de Grupos Específicos (SP2.006)

  • ANTROPOLOGIA, EDUCAÇÃO, SOCIOLOGIA E FENÔMENOS SOCIAIS (I)
  • Educação (I02)
  • Educação não Profissionalizante (I02.233)
  • Educação em Saúde (I02.233.332)
  • ASSISTÊNCIA À SAÚDE (N)
  • Instituições de Saúde, Recursos Humanos e Serviços (N02)
  • Serviços de Saúde (N02.421)
  • Serviços Preventivos de Saúde (N02.421.726)
  • Educação em Saúde (N02.421.726.407)
  • ASSISTÊNCIA À SAÚDE (N)
  • Meio Ambiente e Saúde Pública (N06)
  • Odontologia em Saúde Pública (N06.890)