FICHA TÉCNICA DO RECURSO

Plano de intervenção para redução da hipertensão arterial na área de abrangência da Equipe de Saúde da Família Fabião I do município Januária, Minas Gerais
O município de Januária pertence ao estado de Minas Gerais, dista 603 km da capital do Estado, cidade de Belo Horizonte, sendo uma das principais cidades do Norte do estado. A Equipe de Saúde da Família (ESF) Fabião I pertence ao município de Januária, por meio do diagnóstico situacional da área de abrangência realizado no ano de 2014, utilizando o método de Planejamento Estratégico Situacional (PES), na identificação dos problemas selecionou a alta prevalência da Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) como problema prioritário para intervenção. O presente trabalho tem por objetivo elaborar um plano de intervenção para a redução da prevalência de HAS na área. Para elaboração de intervenção de intervenção foi realizada uma revisão da literatura sobre o tema em base de dados eletrônicas de bibliotecas virtuais como SciELO (Scientific Eletronic Library Online) e BIREME (Biblioteca Regional de Medicina) por meio dos seguintes descritores: hipertensão e estratégia saúde da família. Foram identificados como nós críticos: 1) "Hábitos e estilos" de vida inadequados de hipertensos; 2) Baixo nível de informação sobre HAS da população. Foram desenhadas operações para cada nó crítico e iniciadas as atividades e palestras educativas. Acredita-se que a intervenção poderá evidenciar o conhecimento que têm os pacientes sobre a doença e possibilitar a aquisição de novos saberes, por meio de cursos, atividades e palestras educativas. Isto demonstra que este processo se dá de forma pessoal, na qual cada paciente constrói seus saberes conforme suas necessidades. Os resultados do presente estudo percebem-se a importância de um melhor conhecimento da Hipertensão Arterial e seus fatores de risco para alcançar melhorias em a qualidade de vida de as pessoas com hipertensão.
https://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/8318
07/Apr/2017

  • DOENÇAS (C)
  • Doenças Cardiovasculares (C14)
  • Doenças Vasculares (C14.907)

  • TÉCNICAS E EQUIPAMENTOS ANALÍTICOS, DIAGNÓSTICOS E TERAPÊUTICOS (E)
  • Técnicas de Pesquisa (E05)
  • Métodos Epidemiológicos (E05.318)
  • Estatística como Assunto (E05.318.740)
  • Probabilidade (E05.318.740.600)
  • Risco (E05.318.740.600.800)
  • ASSISTÊNCIA À SAÚDE (N)
  • Qualidade, Acesso e Avaliação da Assistência à Saúde (N05)
  • Qualidade da Assistência à Saúde (N05.715)
  • Fatores Epidemiológicos (N05.715.350)
  • Causalidade (N05.715.350.200)
  • ASSISTÊNCIA À SAÚDE (N)
  • Qualidade, Acesso e Avaliação da Assistência à Saúde (N05)
  • Qualidade da Assistência à Saúde (N05.715)
  • Mecanismos de Avaliação da Assistência à Saúde (N05.715.360)
  • Estatística como Assunto (N05.715.360.750)
  • Probabilidade (N05.715.360.750.625)
  • Risco (N05.715.360.750.625.700)
  • ASSISTÊNCIA À SAÚDE (N)
  • Meio Ambiente e Saúde Pública (N06)
  • Saúde Pública (N06.850)
  • Fatores Epidemiológicos (N06.850.490)
  • Causalidade (N06.850.490.625)
  • ASSISTÊNCIA À SAÚDE (N)
  • Meio Ambiente e Saúde Pública (N06)
  • Saúde Pública (N06.850)
  • Métodos Epidemiológicos (N06.850.520)
  • Estatística como Assunto (N06.850.520.830)
  • Probabilidade (N06.850.520.830.600)
  • Risco (N06.850.520.830.600.800)
  • SAÚDE PÚBLICA (SP)
  • Saúde Ambiental (SP4)
  • Fenômenos Biológicos (SP4.102)
  • Fenômenos Ecológicos e Ambientais (SP4.102.072)
  • Ecotoxicologia (SP4.102.072.092)
  • Poluição Ambiental (SP4.102.072.092.693)
  • Riscos Ambientais (SP4.102.072.092.693.334)
  • SAÚDE PÚBLICA (SP)
  • Epidemiologia e Bioestatística (SP5)
  • Epidemiologia (SP5.001)
  • Medidas de Associação, Exposição, Risco ou Desfecho (SP5.001.037)
  • SAÚDE PÚBLICA (SP)
  • Desastres (SP8)
  • Risco (SP8.473)
  • Medição de Risco (SP8.473.327)