FICHA TÉCNICA DO RECURSO

Proposta de intervenção em hipertensão arterial sistêmica na unidade básica de saúde "Raimundo Caetano de Souza" no municipio Quartel Geral, Estado de Minas Gerais
A Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) é a mais prevalente de todas as doenças cardiovasculares, afetando mais de 36 milhões de brasileiros adultos, sendo a terceira causa de invalidez. Apesar da quantidade de usuários com esta doença, seu impacto pode ser revertido por meio de intervenções amplas e custo efetivo de promoção de saúde para redução de seus fatores de risco, além da melhoria da atenção a saúde, detecção precoce e tratamento oportuno. Para o enfrentamento desta doença foi elaborado um Plano de Ação utilizando o Planejamento Estratégico Situacional que consiste em um método que pressupõe constante adaptação a cada situação concreta onde é aplicado. O Plano de Ação foi aplicado na área de abrangência da Unidade Básica de Saúde de Quartel Geral, com o objetivo de aumentar o nível de conhecimento sobre a HAS e diminuir os fatores de risco das pessoas com HAS. O projeto teve uma duração de 16 semanas onde foram desenvolvidas diferentes atividades educativas, sete palestras educativas falando sobre os fatores de risco da doença, cinco audiências sanitárias, realizadas pela equipe da saúde e 400 abordagens educativas individuais pelo médico e enfermeira. A metodologia utilizada foi o tipo participativo demonstrativa com ajuda dos meios audiovisuais. Ao inicio e ao final da intervenção foi aplicado um questionário com o objetivo de avaliar o nível de conhecimentos da população adulta acima de vinte anos que participou voluntariamente da mesma. Este projeto pretende evidenciar a eficácia da intervenção, conseguindo aumentar o nível de conhecimento da população sobre HAS e os fatores de risco, assim como a importância de uma alimentação saudável, a prática de exercícios físicos sistemáticos, o controle de peso, o abandono do hábito de fumar e o uso do álcool entre outros benefícios
https://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/8547
07/Apr/2017

  • DOENÇAS (C)
  • Doenças Cardiovasculares (C14)
  • Doenças Vasculares (C14.907)

  • TÉCNICAS E EQUIPAMENTOS ANALÍTICOS, DIAGNÓSTICOS E TERAPÊUTICOS (E)
  • Técnicas de Pesquisa (E05)
  • Métodos Epidemiológicos (E05.318)
  • Estatística como Assunto (E05.318.740)
  • Probabilidade (E05.318.740.600)
  • Risco (E05.318.740.600.800)
  • ASSISTÊNCIA À SAÚDE (N)
  • Qualidade, Acesso e Avaliação da Assistência à Saúde (N05)
  • Qualidade da Assistência à Saúde (N05.715)
  • Fatores Epidemiológicos (N05.715.350)
  • Causalidade (N05.715.350.200)
  • ASSISTÊNCIA À SAÚDE (N)
  • Qualidade, Acesso e Avaliação da Assistência à Saúde (N05)
  • Qualidade da Assistência à Saúde (N05.715)
  • Mecanismos de Avaliação da Assistência à Saúde (N05.715.360)
  • Estatística como Assunto (N05.715.360.750)
  • Probabilidade (N05.715.360.750.625)
  • Risco (N05.715.360.750.625.700)
  • ASSISTÊNCIA À SAÚDE (N)
  • Meio Ambiente e Saúde Pública (N06)
  • Saúde Pública (N06.850)
  • Fatores Epidemiológicos (N06.850.490)
  • Causalidade (N06.850.490.625)
  • ASSISTÊNCIA À SAÚDE (N)
  • Meio Ambiente e Saúde Pública (N06)
  • Saúde Pública (N06.850)
  • Métodos Epidemiológicos (N06.850.520)
  • Estatística como Assunto (N06.850.520.830)
  • Probabilidade (N06.850.520.830.600)
  • Risco (N06.850.520.830.600.800)
  • SAÚDE PÚBLICA (SP)
  • Saúde Ambiental (SP4)
  • Fenômenos Biológicos (SP4.102)
  • Fenômenos Ecológicos e Ambientais (SP4.102.072)
  • Ecotoxicologia (SP4.102.072.092)
  • Poluição Ambiental (SP4.102.072.092.693)
  • Riscos Ambientais (SP4.102.072.092.693.334)
  • SAÚDE PÚBLICA (SP)
  • Epidemiologia e Bioestatística (SP5)
  • Epidemiologia (SP5.001)
  • Medidas de Associação, Exposição, Risco ou Desfecho (SP5.001.037)
  • SAÚDE PÚBLICA (SP)
  • Desastres (SP8)
  • Risco (SP8.473)
  • Medição de Risco (SP8.473.327)

  • PSIQUIATRIA E PSICOLOGIA (F)
  • Comportamento e Mecanismos Comportamentais (F01)
  • Comportamento (F01.145)