FICHA TÉCNICA DO RECURSO

A finitude, a perspectiva da morte e os cuidados contínuos
O objeto inicia apontando a importância da perspectiva da morte na atenção à saúde do idoso e citando de que aos 75 anos de idade, 63% das mulheres e 20% dos homens já perderam seus parceiros. Fala que a perda de familiares provoca o medo da morte nas pessoas mais velhas e que o enfermeiro precisa de um aprendizado sobre como lidar com esse processo, além de lidar com as crenças e os valores da família do idoso sobre o processo de morrer. Segue percorrendo questões familiares, de luto, social e religioso, principalmente o apoio nas semanas subsequentes à morte. Termina apontando as instituições de cuidado contínuo ou de longa permanência como ambientes complexos e dinâmicos, oferecendo unidades de cuidado subagudo e os critérios que definem a internação do idoso. Unidade 4 do módulo 8 que compõe o Curso de Especialização em Saúde da Família.

  • ASSISTÊNCIA À SAÚDE (N )
  • Características da População (N01 )
  • Saúde (N01.400 )
  • SAÚDE PÚBLICA (SP )
  • Atenção à Saúde (SP2 )
  • Saúde de Grupos Específicos (SP2.006 )

  • SAÚDE PÚBLICA (SP )
  • Políticas, Planejamento e Administração em Saúde (SP1 )
  • Política de Saúde (SP1.001 )
  • Sistemas de Saúde (SP1.001.012 )
  • Sistemas Nacionais de Saúde (SP1.001.012.010 )
  • SAÚDE PÚBLICA (SP )
  • Direito Sanitário (SP9 )
  • Seguridade Social (SP9.160 )

  • SAÚDE PÚBLICA (SP )
  • Atenção à Saúde (SP2 )
  • Saúde de Grupos Específicos (SP2.006 )
https://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/894
18/Dec/2013