FICHA TÉCNICA DO RECURSO

O controle da hipertensão arterial no idoso
Em menos de duas décadas, a população brasileira com mais de 60 anos ultrapassará os 30 milhões de pessoas. Uma consequência direta do envelhecimento populacional é o aumento da prevalência das doenças crônicas não transmissíveis. Entre estas, a hipertensão arterial sistêmica (HAS) é a mais prevalente e é considerada o principal fator de risco modificável para doenças cardiovasculares na população geriátrica. Sendo uma das principais estratégias para o controle da HAS, o tratamento não farmacológico, que deve ser encorajado em todos os estágios da HAS e se baseia na prática de um estilo de vida saudável. Foi realizada, através de pesquisa bibliográfica, a busca de algumas orientações comprovadamente benéficas em idosos são: atividade física regular, abandono do tabagismo e etilismo, perda de peso, dieta hipossódica, pobre em gorduras, rica em frutas e verduras. Inúmeros estudos demonstraram os benefícios do tratamento da HAS na população desta faixa etária, com redução significativa dos eventos cardiovasculares e melhora na qualidade de vida
https://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/9377
29/Aug/2017

  • DOENÇAS (C)
  • Doenças Cardiovasculares (C14)
  • Doenças Vasculares (C14.907)

  • SAÚDE PÚBLICA (SP)
  • Atenção à Saúde (SP2)
  • Saúde de Grupos Específicos (SP2.006)

  • SAÚDE PÚBLICA (SP)
  • Atenção à Saúde (SP2)