FICHA TÉCNICA DO RECURSO

Plano de intervenção para diminuir a alta incidência de hipertensão arterial, numa unidade de saúde da família, Taquarana-AL
A Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) tem alta prevalência e baixas taxas de controle, considera-se um Síndrome além de constituir uns dos principais fatores de risco modificáveis das doenças cerebrovasculares e um dos mais importantes problemas de saúde pública. A mortalidade por doença cardiovascular aumenta progressivamente com a elevação da PA (Pressão Arterial) pelo mau controle dos fatores de riscos modificáveis exemplo (Sedentarismo, obesidade, e maus hábitos alimentares) além de outros fatores que também favorecem a aparição das complicações por HAS (VI DIRETRIZES DE HIPERTENSÃO, 2010). Por esta razão e com base na taxa atual de pacientes hipertensos na área em estudo, o objetivo deste projeto de intervenção foi propor uma estratégia educacional, buscando diminuir hábitos e estilos de vida negativos na comunidade assistida. O trabalho relaciona-se com a área de abrangência da unidade de Saúde da Família Murici, Taquarana, AL, onde o maior percentual das mortes acontece pelas complicações da HAS, no ano 2015, de 47 falecimentos, 31 aconteceram pelas complicações cardiovasculares e cerebrovasculares (65%). Observa-se alto grau de desconhecimento da população dos fatores de riscos para prevenir a doença, e as medidas de controle. Foi proposto um plano de intervenção para reduzir a prevalência de Hipertensão Arterial na população da equipe através da Identificação dos fatores determinantes na aparição da Hipertensão Arterial. Para a elaboração deste Plano de Ação, foi utilizado o Método de Estimativa Rápida e Planejamento Estratégico Situacional (PES) conforme Campos, Faria, Santos (2010) para o obter o diagnóstico Situacional, em seguida uma revisão de literatura utilizando base de dados do SciELO e LILLACS, utilizou-se Descritores de Ciências da Saúde como:(DESCREVER OS DESCRITORES). Acredita-se que garantir uma adequada promoção da saúde, a prevenção de complicações e o controle adequado da HAS nos pacientes constituem uma contribuição significativa para a redução da morbidade e mortalidade nessa comunidade
https://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/9579
29/Aug/2017

  • DOENÇAS (C)
  • Doenças Cardiovasculares (C14)
  • Doenças Vasculares (C14.907)


  • TÉCNICAS E EQUIPAMENTOS ANALÍTICOS, DIAGNÓSTICOS E TERAPÊUTICOS (E)
  • Técnicas de Pesquisa (E05)
  • Métodos Epidemiológicos (E05.318)
  • Coleta de Dados (E05.318.308)
  • Estatísticas Vitais (E05.318.308.985)
  • Morbidade (E05.318.308.985.525)
  • ASSISTÊNCIA À SAÚDE (N)
  • Características da População (N01)
  • Demografia (N01.224)
  • Estatísticas Vitais (N01.224.935)
  • Morbidade (N01.224.935.597)
  • ASSISTÊNCIA À SAÚDE (N)
  • Meio Ambiente e Saúde Pública (N06)
  • Saúde Pública (N06.850)
  • Medidas em Epidemiologia (N06.850.505)
  • Demografia (N06.850.505.400)
  • Estatísticas Vitais (N06.850.505.400.975)
  • Morbidade (N06.850.505.400.975.525)
  • ASSISTÊNCIA À SAÚDE (N)
  • Meio Ambiente e Saúde Pública (N06)
  • Saúde Pública (N06.850)
  • Métodos Epidemiológicos (N06.850.520)
  • Coleta de Dados (N06.850.520.308)
  • Estatísticas Vitais (N06.850.520.308.985)
  • Morbidade (N06.850.520.308.985.525)
  • SAÚDE PÚBLICA (SP)
  • Epidemiologia e Bioestatística (SP5)
  • Epidemiologia (SP5.001)
  • Medidas de Ocorrência de Doenças (SP5.001.032)