Página de busca








Adicionar novo filtro:

173 RESULTADOS (1 a 10)
  • Agostinho, Milena Rodrigues
    19/Sep/2017
    A asma é uma doença respiratória crônica, frequente no atendimento da Atenção Primária à Saúde (APS), com prevalência nacional de 4,4% em adultos e cerca de 20% em crianças e adolescentes. A asma tem características heterogêneas, usualmente com inflamação crônica das vias aéreas, sendo definida pela história de sintomas respiratórios – como sibi...
  • Agostinho, Milena Rodrigues
    19/Sep/2017
    A artrite reumatoide é uma doença autoimune inflamatória crônica caracterizada por sinovite periférica que, sem tratamento, evolui para erosões ósseas com deformidades irreversíveis. A doença tem prevalência estimada de 1% na população brasileira adulta. Acomete três vezes mais as mulheres do que os homens. Seu pico de incidência é entre os 30 a...
  • Siqueira, André
    04/Dec/2019
    Malária na atenção básica é um curso de extensão/Atualização, aborda aspectos gerais e epidemiológicos da malária no Brasil, o ciclo do parasito e o diagnóstico epidemiológico, clínico e laboratorial, a vigilância, a prevenção, o controle e o tratamento da malária. Composto por quatro unidades educacionais: Unidade 1 – Malária: aspectos gera...
  • Frade, Marco Andrey Cipriani
    25/Feb/2016
    Unidade 2, atividade 5 do curso Hanseníase na Atenção Básica: o Doutor Marco Andrey Cipriani Frade aborda a busca por lesões cutâneas não tão visíveis na hanseníase ao exame e recomenda cuidados para a inspeção.
  • Universidade Federal do Maranhão - UNA-SUS/UFMA
    16/Mar/2015
    Texto que compõe a unidade 2 do módulo “Análise epidemiológica da doença renal” do curso de especialização em Nefrologia, produzido pela UNA-SUS/UFMA. Aborda os principais grupos e fatores de risco para o desenvolvimento da Doença Renal Crônica (DRC).
  • Frade, Marco Andrey Cipriani
    25/Feb/2016
    Unidade 2, atividade 3 do curso Hanseníase na atenção básica: abordagem da hanseníase em relação aos nervos periféricos de uma maneira específica. A palpação dos nervos é fundamental para detectar o espessamento e a presença de dor nos nervos mais acometidos pela hanseníase.