FICHA TÉCNICA DO RECURSO

Abordagem multiprofissional para avaliação e redução do risco cardiovascular dos pacientes hipertensos de alto e muito alto risco pelo Systematic Coronary Risk Evaluation na área de abrangência da Unidade Básica de Saúde Residencial 2000, Guarapuava-PR
Introdução: Segundo os dados epidemiológicos da Unidade Básica de Saúde Residencial 2000 há uma prevalência de Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) com uma população de 292 cadastrados no sistema de 2015 e que são acompanhados pelo grupo Hiperdia. Por sua vez, as doenças cardiovasculares fazem parte das cinco principais causas de morte no município e os moradores da comunidade possuem baixo grau de escolaridade, bem como há um número relevante de analfabetos, ocasionando acentuados problemas para a compreensão dos tratamentos necessários a saúde individual e coletiva da comunidade. Objetivo: Avaliar os pacientes hipertensos cadastrados na área de abrangência da Unidade básica de Saúde Residencial 2000 através do índice SCORE (Systematic Coronary Risk Evaluation), intervindo nos pacientes classificados como alto risco e muito alto risco. Método: O Projeto de Intervenção foi realizado por meio de um estudo observacional de uma série de 50 pacientes hipertensos e usuários do SUS, que frequentavam as reuniões mensais do programa Hiperdia, na área de abrangência do Programa Saúde da Família (PSF) do Residencial 2000 no município de Guarapuava – PR, para estratificar o risco cardiovascular através do Índice SCORE (Systematic Coronary Risk Evaluation). Resultados alcançados: Foram estudados 50 pacientes com hipertensão arterial sistêmica (HAS), sendo 32 (64%) do sexo feminino e 18 (36%) do sexo masculino, com idade variando entre 40 a 65 anos. Ao realizar a estratificação de risco, 13 pacientes do sexo masculino e 9 pacientes do sexo feminino foram classificados como Alto e Muito Alto risco. Observou-se uma maior prevalência no sexo masculino no qual 57,1% foram classificados como Alto Risco e 62,5% como Muito Alto Risco. Com a intervenção terapêutica, dos 22 pacientes inicialmente classificados como Alto Risco e Muito Alto Risco pelo Índice SCORE, 7 pacientes (31%) conseguiram diminuir sua escala de risco para níveis menores da classificação do índice SCORE.
https://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/12732
15/May/2019
Doenças Cardiovasculares
Prevenção
Hipertensão
Doença Crônica
Atenção Primária à Saúde