FICHA TÉCNICA DO RECURSO

Segunda Opinião Formativa: como avaliar pacientes com queixa de queda de cabelo difusa?
Na anamnese, deve-se questionar o uso de agressores externos que possam estar danificando o cabelo e fazendo com que os mesmos quebrem em seu comprimento (por exemplo, produtos químicos, uso excessivo de tinturas, alisamentos, uso de secador/chapinha, etc.) ou de possíveis agressões mecânicas (amarrar o cabelo frequentemente com tração excessiva). É necessário examinar o couro cabeludo em busca de alterações (escamas, inflamação, pústulas, cicatrizes ou placas bem delimitadas de alopecia) e questionar se há prurido ou sensação de queimação associados para afastar a presença de outras doenças que cursam com queda de cabelo associada, como psoríase, dermatite seborreica, foliculite decalvante/abscedante e alopecia areata.
https://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/13675
25/Jul/2019
2019-07-02

  • DOENÇAS (C)
  • Doenças da Pele e do Tecido Conjuntivo (C17)
  • Dermatopatias (C17.800)
  • Doenças do Cabelo (C17.800.329)
  • Hipotricose (C17.800.329.937)
  • DOENÇAS (C)
  • Condições Patológicas, Sinais e Sintomas (C23)
  • Condições Patológicas Anatômicas (C23.300)