FICHA TÉCNICA DO RECURSO

Mordida Cruzada posterior em crianças: como previnir futuras maloclusões
A saúde bucal, como parte integrante e inseparável da saúde geral do indivíduo, precisa oferecer condições para que a criança cresça e se desenvolva da melhor forma possível. O presente trabalho teve como objetivo abordar o tema "Mordida cruzada posterior em crianças" como prevenir futuras "Maloclusões" e obter conhecimento suficiente para orientar os pais sobre a importância da amamentação como prevenção de maloclusões na dentição decídua, ressaltando a importância do diagnóstico e da intervenção precoce para evitar maloclusões graves na dentição permanente. O aleitamento materno exclusivo até o sexto mês e parcial até um ano de idade é fundamental para o crescimento e desenvolvimento da criança e tem um papel importante na prevenção de problemas ortodônticos. A duração insuficiente do aleitamento natural está associada à presença de hábitos de sucção e influencia o desenvolvimento de mordidas cruzadas posteriores. Realizou-se uma revisão de literatura com buscas de artigos relacionados ao tema na língua portuguesa e inglesa nas bases virtuais de dados da Scielo, BBO, Bireme e Lilacs, sendo utilizadas as palavras-chave "mordida cruzada posterior", "saúde bucal", "odontopediatria", "maloclusões", "saúde bucal infantil", que tiveram publicações entre 1988 e 2010. A persistência dos hábitos de chupeta e/ou dedo entre cinco e seis anos revelaram oito vezes mais chances para o desenvolvimento de Mordida Cruzada Posterior (MCP), em relação às crianças que nunca possuíram tais hábitos. A MCP dificilmente se corrige espontaneamente com a idade e o diagnóstico precoce em portadores de MCP é de extrema importância, haja vista que as modificações oclusais, musculares, ósseas e até mesmo articulares poderão originar-se durante o estabelecimento da oclusão dos dentes decíduos. Concluiu-se, portanto, que existe a necessidade de implantação de programas de prevenção e controle de maloclusões em crianças na rede pública de saúde, pois embora relativamente simples, a atenção dada nessa fase, é extremamente importante para permitir o desenvolvimento normal da dentição e o estabelecimento de uma adequada oclusão. Quanto mais precocemente forem descobertas essas alterações, maiores serão as possibilidades de reabilitação, devolvendo a harmonia fisiológica ao indivíduo.
https://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/7640
31/Jan/2017

  • ASSISTÊNCIA À SAÚDE (N)
  • Características da População (N01)
  • Saúde (N01.400)
  • SAÚDE PÚBLICA (SP)
  • Atenção à Saúde (SP2)
  • Saúde de Grupos Específicos (SP2.006)

  • DISCIPLINAS E OCUPAÇÕES (H)
  • Ocupações em Saúde (H02)
  • Odontologia (H02.163)
  • Especialidades Odontológicas (H02.163.876)

  • DOENÇAS (C)
  • Doenças Estomatognáticas (C07)
  • Doenças Dentárias (C07.793)