FICHA TÉCNICA DO RECURSO

Plano de ação para a realização da estratificação de risco dos hipertensos do Programa Saúde da Família Vila Etna no município de Campo Belo - MG
A hipertensão arterial constitui um dos problemas de saúde de maior prevalência na atualidade. Se não tratada adequadamente, a hipertensão arterial pode acarretar graves consequências para o indivíduo, estando entre as causas mais frequentes de morbi-mortalidade dos adultos e idosos. As doenças cardiovasculares (DCV) são as que mais causam morte em todo o mundo, ocupando a primeira posição no perfil de morbi-mortalidade. Seu principal fator de risco é a Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) que vem atingindo grande parte da população do mundo. A Estratificação de Risco baseia-se na classificação inicial levando-se em conta o exame clínico e avança para a indicação de exames complementares, quando o exame clínico apontar que o grau de risco sugere risco moderado a alto. A classificação de risco pode ser repetida a cada 3 a 5 anos ou sempre que eventos clínicos apontarem a necessidade de reavaliação. Ao desenvolver o diagnóstico situacional do PSF Vila Etna no município de Campo Belo-MG, o problema identificado como prioritário, foi o elevado número de hipertensos não identificados quanto ao risco cardiovascular. Assim, o objetivo do estudo foi elaborar e propor um plano de ação para auxiliar na realização da estratificação de risco e implementar ações educativas dos pacientes hipertensos do PSF Vila Etna no município de Campo Belo, MG. Foram elaborados planos de ações para serem implementados de 2014 a 2015. Na primeira fase, as seguintes estratégias foram estabelecidas como: a detecção precoce da HAS e fatores de riscos associados; Identificação de lesão de órgãos alvo; estratificação de risco para os pacientes com HA, de acordo com o caderno Atenção Básica número 14. Na segunda fase, foi proposta a realização de uma mobilização na população alvo, expondo os riscos relacionados à hipertensão. Medidas como caminhadas, palestras, orientações pela rádio e campanhas educativas foram propostas. Espera-se que o plano de ação possa facilitar e melhorar o atendimento aos pacientes com HA por meio da estratificação de risco, onde será priorizado o atendimento de acompanhamento de hipertensos de risco moderado e alto para melhorar a qualidade de vida e saúde para esses hipertensos
https://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/9410
29/Aug/2017

  • DOENÇAS (C)
  • Doenças Cardiovasculares (C14)
  • Doenças Vasculares (C14.907)


  • SAÚDE PÚBLICA (SP)
  • Políticas, Planejamento e Administração em Saúde (SP1)
  • Políticas Públicas de Saúde (SP1.001)
  • Estratégias (SP1.001.007)
  • Estratégias Nacionais (SP1.001.007.023)
  • SAÚDE PÚBLICA (SP)
  • Atenção à Saúde (SP2)
  • Saúde de Grupos Específicos (SP2.006)
  • Saúde da Família (SP2.006.052)

  • ANTROPOLOGIA, EDUCAÇÃO, SOCIOLOGIA E FENÔMENOS SOCIAIS (I)
  • Educação (I02)
  • Educação não Profissionalizante (I02.233)
  • ASSISTÊNCIA À SAÚDE (N)
  • Instituições de Saúde, Recursos Humanos e Serviços (N02)
  • Serviços de Saúde (N02.421)
  • Serviços Preventivos de Saúde (N02.421.726)
  • SAÚDE PÚBLICA (SP)
  • Atenção à Saúde (SP2)
  • Promoção da Saúde (SP2.021)
  • SAÚDE PÚBLICA (SP)
  • Desastres (SP8)
  • Administração de Desastres (SP8.946)
  • Educação em Desastres (SP8.946.234)